INGÁ ORTHOS

CASO CLÍNICO 4:  SUPLEMENTOS DE CÁLCIO

     Paciente idosa, 77 anos em uso de Carbonato de Cálcio 500 + 200UI de Vitamina D há muitos anos para tratamento de osteoprose. Recentemente teve a alteração deste medicamento por Fosfato de cálcio tribásico,600 mg de cálcio elementar e colecalciferol - vitamina D3 (400 UI). O filho da paciente procurou o Serviço de Ortopedia com dúvida quanto ao melhor suplemento a ser administrado.

         Após exame, foi optado pelo carbonato de cálcio 1200 mg + 800UI de Vitamina D por dia associado a 35 mg de risendronato, uma vez por semana, após as seguintes explicações:

  • A grande maioria de pacientes com osteoporose não ingere as quantidades preconizadas de cálcio, devendo, portanto, receber suplementação com sais de cálcio.
  • O carbonato de Cálcio é o sal com maior disponibilidade de cálcio (40%) e amplamente utilizado nos ensaios clínicos e na prática médica.
  • O carbonato de cálcio está indicado para crianças, adolescentes, grávidas, nutrizes, homens e mulheres em todas as idades.
  • O fósforo é encontrado em abundância nos alimentos. Tanto a ingestão excessiva de fósforo como a reduzida pode prejudicar o tecido ósseo. A maior parte dos indivíduos tem uma dieta com ingestão excessiva de fósforo, diminuindo a absorção de cálcio. Apenas 10% dos indivíduos com mais de 70 anos apresentam dieta reduzida em fósforo.
  • A suplementação com fosfato de cálcio raramente deve ser indicada. Apenas indivíduos com baixa ingestão de fósforo (<500 mg/dia) com intolerância ao leite e derivados ou com dificuldade de se alimentar poderiam receber este derivado de cálcio.